Ventosaterapia

Segundo relatos históricos, os Índios desenvolveram a técnica de ventosaterapia, utilizando chifres de animais, os chineses a usavam como bambu, tempos depois os europeus desenvolveram técnica em copos de vidro. Atualmente existem ventosas de acrílico, bem difundidas no mercado e de fácil manuseio.

 

A ventosaterapia é um tipo de tratamento natural no qual são usadas ventosas para melhorar a circulação sanguínea em um local do corpo. Para isso, as ventosas criam um efeito de vácuo, que suga a pele, resultando em um aumento do diâmetro dos vasos sanguíneo no exato local. Como resultado, existe uma maior oxigenação destes tecidos, permitindo a liberação de toxinas do sangue e do músculo com mais facilidade. 

 

Seus principais benefícios incluem:

  • Aumento da circulação sanguínea local;

  • Eliminação de contraturas musculares e pontos gatilho;

  • Fortalece os vasos sanguíneos;

  • Aumentar a produção de líquido sinovial dentro das articulações;

  • Relaxar e acalmar o corpo e a mente.

  • desintoxicação do organismo

  • alivio de dores abdominais

  • Alivio de dores na coluna

  • Alivio de cefaleia (dores de cabeça)

 

Este tratamento também é muito utilizado na Medicina Tradicional Chinesa, sendo muitas vezes associado à acupuntura, para tratar diversos transtornos da saúde com o objetivo de reenergizar os meridianos por onde passa a energia vital Qi. 

 

Contraindicações da ventosaterapia

Embora seja relativamente seguro, o tratamento com ventosaterapia possui algumas contraindicações e, por isso, não deve ser aplicado em pessoas que apresentam:

 

  • Trombose, tromboflebite ou distúrbios hemorrágicos;

  • Varizes;

  • Feridas;

  • Febre;

  • Fratura no local a ser tratado.

 

O local da aplicação pode ficar dolorido e roxeado por alguns dias, dependendo da quantidade de vácuo que é imposta sobre a pele. Mas nada que atrapalhe a vida cotidiana do paciente.

Ventosaterapia

Ventosaterapia

Ventosaterapia

Ventosaterapia